Split

O Palácio de Diocleciano, o Templo de Júpiter, a menor catedral do mundo... Descubra os monumentos mais importantes de Split, uma cidade com raízes romanas que se tornou numa das cidades mais visitadas da Croácia.

Split é a segunda maior cidade da Croácia e um dos destinos turísticos mais populares do país. Com mais de 200.000 habitantes, Split é o centro nevrálgico da Dalmácia e uma parada essencial para os cruzeiros que cruzam o Mar Adriático.

Um pouco de história 

As origens de Split remontam ao século II a.C., quando os primeiros assentamentos na área deram origem à colônia grega de Aspalathos. Um dos principais momentos da história de Split é a chegada à cidade em 305 d.C. do imperador romano Diocleciano, que decidiu construir um grande palácio amuralhado nessa nova cidade romana chamada Salona.

Depois de quase trezentos anos de prosperidade de Salona, ​​a cidade foi saqueada por eslavos e bizantinos. Durante a Idade Média, Split gozava de autonomia, embora permanecesse encurralada nas disputas contínuas entre os reinos de Veneza e Hungria. Por fim, os venezianos conquistaram Split no ano de 1420 mas continuaram a respeitar parte de sua autonomia.

A cidade da Dalmácia permaneceu sob a órbita do reino de Veneza até à chegada das tropas francesas. Em 1805, as tropas de Napoleão entram na cidade e permanecem durante sete anos. Seu sucessor foi o Império Austro-Húngaro, que controlou Split durante quase um século até a cidade ser integrada à Croácia e, portanto, à República da Jugoslávia.

O que ver em Split

Split é uma cidade cosmopolita que combina a face mais moderna da Croácia com valiosos monumentos históricos:

Palácio de Diocleciano

Este grande palácio construído pelo imperador romano é o símbolo de Split e foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Abriga não apenas a residência de Diocleciano, mas também templos, arcos, galerias subterrâneas e duas esfinges enigmáticas.

Catedral de São Duje

É a catedral mais antiga e a menor do mundo. Foi concebida pelo imperador Diocleciano como seu mausoléu pessoal mas, entretanto, perdeu a sua origem pagã e tornou-se uma catedral com um altar, um órgão, vários manuscritos e os túmulos de dois mártires.

Templo de Júpiter

Este pequeno templo construído para o culto ao pai de todos os deuses mantém sua arquitetura interior em perfeitas condições desde sua construção no século III d.C.

O Porto de Split

É sem dúvida a zona mais animada da cidade, especialmente à noite. Abriga muitos terraços, restaurantes e não podem circular veículos. A zona exibe um modelo da cidade e outra de como era o Palácio de Diocleciano em sua era de máximo esplendor.

Estátua de Gregório de Nin

Esta escultura mostra um bispo croata do século X, que tentou impor o croata como a língua oficial da igreja. Segundo a lenda, quem tocar o dedo grande de um dos seus pés pode pedir um desejo que será realizado.

Como chegar a Split

A cidade de Split está localizada no norte da região da Dalmácia, a cerca de 230 quilômetros de Dubrovnik. Existem várias maneiras de chegar a Split saindo de Dubrovnik:

  • Se sua ideia é alugar um carro, você terá que dirigir por aproximadamente 4 horas. Lembre-se de que são estradas convencionais e que você deve atravessar a fronteira da Bósnia e Herzegovina, pelo que você terá de mostrar seu documento de identidade ou passaporte, dependendo da sua nacionalidade. Recomendamos que você saia com bastante antecedência para evitar as filas que se formam na alta temporada.
  • Outra opção é pegar um ônibus de Dubrovnik para Split. A viagem leva cerca de quatro horas e meia e você também terá que mostrar a documentação ao atravessar a fronteira com a Bósnia e Herzegovina. É uma alternativa muito econômica, no entanto, você deverá tentar encontrar empresas que façam a rota direta, sem parar em outras cidades.
  • Você também pode pegar um barco de Dubrovnik para Split. Esses barcos operam apenas de maio a outubro, mas é uma opção muito interessante. A viagem é um pouco mais rápida que o ônibus, dura cerca de 3 horas e o preço é de cerca de 25 (US$29,20).